Cidade

Papai, a seca de Pirari e Gestão Pública

Expedir ao lado do meu pai é ouvir um homem silencioso falar por horas. Ainda que o nosso passeio tenha se desenvolvido em um ambiente seco, dentro de uma paisagem de galhos e carnaúbas cinzas, a conversa foi muito animadora. Nesse tempinho juntos - coisa rara de acontecer-, revimos as origens da nossa família e compartilhamos… Continuar lendo Papai, a seca de Pirari e Gestão Pública

Anúncios
Narrativa Feminina

Quando escutamos

Era pra ser uma conversa qualquer entre duas mulheres, passatempo no dia comum, mas não foi. Enquanto ela acendia o cigarro, eu martelava questões sobre textos e campanhas da internet que denunciam violência contra mulher: até que ponto tais relatos conseguem ser construtivos em prol da proteção e empoderamento feminino, e mais, qual a maneira… Continuar lendo Quando escutamos

futebol, Narrativa Feminina

Lugar de voto e bancada

No Brasil, o sufrágio feminino teve a força do Rio Grande do Norte por causa do pioneirismo de Nísia Floresta (1810 - 1885). Nísia, educadora e escritora, usou palavras pra defender a participação e representatividade da mulher no espaço público. Sua vida foi feita de bandeira (e obra) pra conquistar o voto e reconhecimento da decisão… Continuar lendo Lugar de voto e bancada

Cotidiano, futebol, Percursos

E depois dos Clássicos de domingo?

A estética do torcedor é inconsciente; [...] uma emoção política. Somos fluminenses ou vascos pela necessidade de optar, como somos liberais socialistas ou reacionários.” Carlos Drummond de A. O mistério da bola. 17 de Junho de 1954. Drummond dizia que a relação que o brasileiro fazia com o futebol e a política era intrigante. Ele,… Continuar lendo E depois dos Clássicos de domingo?

Miudezas, Narrativa Feminina

Sem abreviar Maria

Por muito tempo, as narrativas femininas comportaram-se em silêncios. Até o século XIX, as mulheres nascidas no Brasil, por exemplo, mal sabiam escrever seus próprios nomes. Nomes inexistentes. Pra viver - e ser - era preciso que saíssem do lugar inessencial. Resistir. Então, elas, as mulheres, insurgiram, reviraram páginas, aprenderam a escrever seus nomes. Tornaram-se essenciais… Continuar lendo Sem abreviar Maria

Amabilidade, Percursos

O Sujeito

[Ficção] Ele acordou. Levantou-se. Foi pra cozinha. A geladeira estava cheia de água. Sem nada pronto pra comer, voltou pro quarto. A cama fez o convite e o silêncio disse baixinho que não era preciso sair pra rua. Seu quarto, sua vida, suas regras. A rotina dos cinco dias de feira parece deixar o corpo dele… Continuar lendo O Sujeito

futebol, Narrativa Feminina

Vai ter bolsa no estádio?

Vai ter bolsa. Pochete também. Anota! A resposta não é só minha. Nos estádios (nas ruas, nos campos e em outras construções), vocês também vão ver batom do tom nude ao vermelho. As minas vão pros jogos de shorts, de saia, de manto sagrado, de carro, de ônibus, de carona e de bike. Sozinhas, acompanhadas ou… Continuar lendo Vai ter bolsa no estádio?